MOVIMENTO JUVENIL SALESIANO EM FESTA DE COMPROMISSO

por jcerca em 20 de Fevereiro de 2017

Durante 22 anos Arouca beneficiou, cultural, social e espiritualmente, da presença dos Salesianos, através do Colégio Salesiano que funcionou no Convento de 1960 a 1982.

Saídos desta terra, há 35 anos, cá deixaram a semente do carisma de D.Bosco através do Centro Juvenil e da Associação dos Salesianos Cooperadores. O Movimento Juvenil Salesiano que faz parte do Centro Juvenil, pretende, entre outras coisas, que os adolescentes e jovens tenham, como referência nas suas vidas, as figuras de D.Bosco e de Domingos Sávio. É por isso que, seguindo estas fascinantes figuras, os jovens ADS do Movimento Juvenil Salesiano pretendem ser alegre, dinâmicos e serviçais.

imp_lenços2017 (2)

No dia 18 de fevereiro este movimento viveu mais um dia de festa e de compromisso público, com  a presença do sacerdote salesiano, Pe. Manuel Mendes que presidiu à cerimónia da imposição dos lenços e das promessas dos jovens ADS, na igreja conventual, durante a eucaristia vespertina dominical da paróquia de Arouca que foi animada musicalmente pelos próprios jovens ADS.

Antes da imposição dos lenços o celebrante lembrou a todos os jovens os aspectos mais relevantes do compromisso que iriam fazer a seguir. Esta cerimónia foi antecedida de uma vigília de oração e reflexão como preparação para a celebração comunitária do dia seguinte.

no busto

Antes da celebração os jovens ADS deslocaram-se ao cemitério de Santa Eulália para evocarem a memória da pequena Leonor que integrava esse grupo do MJS e que há cerca de 3 anos  partiu, inesperadamente, com 9 anos de idade, deixando em todos, não só uma grande saudade, como também um estímulo de vida e de imitação. Depois, já no parque municipal, foi colocado um ramo de flores junto ao busto de D.Bosco, tendo o Pe. Manuel Mendes dirigido algumas palavras sobre o “apóstolo da juventude” e evocado os salesianos que passaram por Arouca.
Depois da cerimónia religiosa seguiu-se um breve encontro dos jovens com o Pe. Manuel Mendes, num dos auditórios da Escola Secundária, seguindo-se o jantar em que participou mais de uma centena de pessoas entre jovens, seus familiares e membros dos Salesianos Cooperadores.

imp_lenços2017 (4)
O dia terminou com uma sessão de variedades levada a cabo pelos próprios jovens ADS e durante a qual o teatro, a música e a dança proporcionaram a todos  divertidos momentos de boa disposição, exemplificando assim uma das muitas maneiras dos ADS serem alegres, dinâmicos e serviçais, seguindo o exemplo de Domingos Sávio e do seu mestre D.Bosco.

imp_lenços2017 (1)

{ 0 comentários }

CANTARES DE JANEIRAS SENIORES

por jcerca em 21 de Janeiro de 2017

Organizado pela Universidade Sénior de Oliveira de Azeméis (USOA) realizou-se no dia 20 de janeiro de 2017 o III Encontro de Janeiras Seniores em Terras de La-Salette.

1-DSC_0041

Com o objectivo de manter viva uma tradição ainda muito arreigada nas populações do norte do País e com a consciência de que cabe aos seniores preservar esta tradição e passá-la às gerações novas, participaram neste encontro a Academia Sénior de Arouca (ASARC), as Universidades Seniores de Albergaria-a-Velha e da Gafanha da Nazaré e ainda o Instituto Sénior de Ovar.

Todas estas instituições seniores apresentaram ao público presente um conjunto de melodias populares, cantadas tradicionalmente na época das janeiras e que têm, todas elas, como denominador comum, a alegria popular pelo anúncio do nascimento do Menino Deus.

Coube à instituição anfitriã e organizadora deste evento de Janeiras seniores apresentar algumas dessas melodias populares, não só através da sua Tuna, como também do seu grupo de cavaquinhos que encerrou o encontro. Refira-se que a abertura do mesmo foi feita com a atuação do Coro da USOA que interpretou o respectivo hino.

DSCN2125

No final do encontro a presidente da Direção da Universidade Sénior de Oliveira de Azeméis entregou às restantes instituições seniores uma lembrança comemorativa deste evento.
Estando previsto um lanche-convívio na Estalagem de S.Miguel em La-Salette, por motivos de prolongada falha na energia eléctrica, o mesmo teve de ser deslocado para a Junta de Freguesia de Oliveira de Azeméis em cujo auditório decorreu este III encontro de cantares de Janeiras Seniores.DSCN2133

Embora o objectivo principal deste encontro tenha sido a preservação de uma tradição popular muito antiga, a verdade é que estas janeiras seniores acabaram por ser também um veículo para o estabelecimento de laços de amizade, de partilha de experiências e de momentos de convívio entre os elementos das instituições seniores presentes.

José Cerca

{ 1 comentário }

CANTAR DE JANEIRAS INTERGERACIONAL

por jcerca em 16 de Janeiro de 2017

Cinco instituições da Vila de Arouca receberam, no dia 16 de Janeiro, na própria sede, a visita de um numeroso grupo de cantadores de janeiras que, tal como no ano anterior, teve a particularidade de envolver as crianças e professores da escola básica do 1º ciclo e jardim-de-infância e os alunos da Academia Sénior de Arouca que acompanharam os pequenos cantores, não só com as suas vozes adultas, mas também com o seu grupo de cavaquinhos, constituindo assim uma harmonia intergeracional de vozes que contribuíram, dessa maneira, para manter viva uma das tradições populares que ainda vai resistindo na nossa memória colectiva.

janeiras interger (3)

Da parte da manhã, e sob os agradáveis raios de um lindo sol de janeiro, os cerca de 200 cantadores juniores e seniores começaram a sua digressão de janeiras pelo Jardim infantil do Centro Paroquial e Social Santa Mafalda (Patronato), dirigindo-se depois para a Câmara Municipal de Arouca. Com o hall de entrada do edifício completamente apinhado, crianças e adultos cantaram para o sr. Presidente da Câmara e demais funcionários, as janeiras e os desejos de um bom ano novo. E embora sendo o último cantar de janeiros ao actual Presidente da Câmara, os cantadores não se escusaram, mesmo assim, a deixar-lhe alguns recados, através de algumas quadras cantadas:

janeiras na Câmara.red

Ó meu rico presidente / abra a bolsa do dinheiro / faça lá um esforcinho / instale o videoporteiro.

Ai o nosso aquecimento / está sempre a avariar / ou está muito quentinho / ou um frio de rachar.

Do nosso aquecimento / reveja a chaminé / há dias em que o fumo / invade as salas da pré.

No final, e após algumas palavras do sr. Presidente, que não só anotou os recados deixados, como também salientou a importância deste relacionamento intergeracional, todos os cantores foram contemplados, à saída, com um KitKat, oferecido pela autarquia.

janeiras interger (6)

A digressão da manhã acabaria, ali mesmo ao lado, no quartel dos Bombeiros Voluntários onde foram também cantados os mesmos votos de Ano Novo e recebido mais um chocolatinho para cada um dos cantores.

Da parte da tarde, os cantores das janeiras continuaram a sua digressão natalícia por mais duas instituições, a Aicia e a Escola Secundária de Arouca, que tão simpaticamente acolheram estes romeiros e onde deixaram no ar este desejo e esta promessa:

Um bom ano para todos / é o que nós desejamos /muita saúde e amor / para o ano nós voltamos!

janeiras interger (7)

Para os professores que acompanharam os alunos e para os cantadores seniores a Direção do Agrupamento de Escolas de Arouca tinha reservado uma agradável surpresa através de um delicioso lanche que foi preparado por alunos do curso tecnológico de Padaria e Pastelaria e do curso Restaurante Bar a funcionar na Escola Secundária de Arouca.

janeiras interger (2)

E assim, fazendo a ponte entre a geração mais nova a frequentar a escola EB1 e o JI de Arouca e os alunos mais idosos a frequentarem a Academia Sénior de Arouca se cumpriu uma vez mais esta tradição tão popular com que habitualmente se encerra o período natalício.

José Cerca

{ 0 comentários }

II JORNADAS DE CIÊNCIA DE AROUCA

por jcerca em 20 de Dezembro de 2016

A partilha do conhecimento científico com ADN arouquense

Seguindo sensivelmente a mesma estrutura organizativa da primeira edição das Jornada de ciência de Arouca, decorreu nos dias 16 e 17 de dezembro a sua segunda edição que este ano contou com a presença do Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior.

Subordinadas ao tema “Ciência, ambiente e sustentabilidade” esta segunda edição, tal como a anterior, teve a organização conjunta do Agrupamento de Escolas de Arouca, da Associação Círculo Cultura e Democracia e da Câmara Municipal de Arouca, tendo ainda a colaboração do Centro de Formação de Associação de Escolas dos concelhos de Arouca, Vale de Cambra e Oliveira de Azeméis, bem como do I3S do Porto (Instituto de Investigação e Inovação em Saúde),Centro de Engenharia Biológica, da Universidade do Minho, da Academia de Música de Arouca e do Arouca Geopark.

Envolvidos na logística destas jornadas estiveram também diversos alunos dos Cursos Profissionais de Restauração, Turismo e Multimédia a decorrerem na Escola Secundária de Arouca, no presente ano letivo.

Através de diversos painéis, que tiveram lugar no auditório da Loja Interativa de Turismo, foram apresentadas vários projectos de investigação científica levados a efeito por antigos alunos da Escola Secundária de Arouca, não só em instituições académicas nacionais, como também em estabelecimentos de ensino superior espalhados pelo mundo.

Investigadores arouquenses no mundo

Na sessão de abertura das II Jornadas de ciência de Arouca estiveram presentes a directora do Agrupamento de Escolas de Arouca, Adília Cruz, a vice-presidente da Câmara Municipal de Arouca, Margarida Belém, António Costa pela Associação Círculo Cultura e Democracia e José Rosa, pelo Centro de Formação AVCOA.

DSCN1871

Considerando que as Jornadas de Ciência de Arouca são já “uma marca a prosseguir”, Margarida Belém afirmou que Arouca é um território propício para o desenvolvimento do conhecimento científico e destacou o papel que o Arouca Geopark tem vindo a desempenhar nesse sentido, em estreita ligação com as escolas do Concelho, contribuindo assim para o desenvolvimento sustentável do território arouquense.

Após a abertura das jornadas deu-se início à apresentação de diversos projectos de investigação científica, ao longo de dois painéis subordinados ao tema “investigadores arouquenses no mundo”.

DSCN1880

No primeiro painel moderado por dois investigadores do I3S,Manuel Sobrinho Simões, Presidente da Direção do Ipatimup e Raquel Seruca, do mesmo Instituto, foram apresentados 8 projectos, não apenas no âmbito da biologia, da microbiologia, da medicina e da farmacologia, como também da biologia molecular de plantas, da biologia do envelhecimento fisiológico e da biodiversidade e conservação da natureza.

Estes projetos interdisciplinares, que têm como denominador comum, a melhoria da qualidade de vida e do bem-estar das pessoas, foram apresentados por investigadores arouquenses ligados não só a universidades e instituições nacionais, como também a prestigiadas instituições académicas internacionais.

DSCN1877

Foram autores destes projetos de investigação Maria de Fátima Brandão, Rita Brandão Fontes Oliveira, José Filipe Cerca, Sandra Martins Magalhães, Inês Gomes Soares, Sandra Pinho, Ana Marta Pereira e Andreia Dias.

Num segundo painel, a que se juntou como moderador João Sanches, membro da direcção do Instituto de Sistemas e Robótica de Lisboa (ISR), os projectos apresentados situavam-se numa outra área da ciência, nomeadamente da física e da engenharia. Projetos sobre a detecção de radiação gasosa, sobre materiais multifuncionais magnéticos, infraestruturas hidráulicas, contributo do jogo na fisioterapia e no tratamento de doenças neurológicas e ainda sobre o movimento dos corpos segundo a teoria da relatividade geral, constituíram este segundo painel cujos trabalhos de investigação foram  apresentados por Carlos Azevedo, Gonçalo Oliveira, Jorge Gonçalves, Tiago Martins  e Filipe Costa.

DSCN1886

Refira-se que quase todos os investigadores que passaram por estes dois painéis, ao apresentarem o seu percurso académico, não deixaram de referir o importante papel que a Escola Secundária de Arouca representou no estímulo à investigação, chegando mesmo alguns deles a referirem o nome dos professores que os despertaram para a curiosidade científica.

No final de cada um dos painéis teve lugar um interessante momento de debate que foi muito participado e no qual foram colocadas questões muito pertinentes.

Ministro da Educação

Apesar de não poder acompanhar o programa destas Jornadas da Ciência de Arouca, por motivos da sua agenda, o que o impediu mesmo de participar no jantar, a verdade é que a presença de Manuel Heitor, como Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior foi, não só uma mais-valia prestigiante, como também uma prova do seu apreço por este evento arouquense em prol da divulgação científica.

Partindo do Acordo de Paris 2016, o Ministro introduziu, na sua comunicação, algumas questões relacionadas com o futuro do Planeta, nomeadamente sobre as alterações climáticas e a sustentabilidade de novas fontes energéticas.

DSCN1890

Perante a crescente incerteza que o futuro do Planeta nos traz, Manuel Heitor acentuou a importância que o conhecimento desempenha na relação entre Ciência, Ambiente e Sustentabilidade. O conhecimento científico, concluiu o Ministro, é fundamental para nos adaptarmos a novas situações e a novas descobertas.

O dia terminou com um jantar no refeitório da Escola Secundária, todo ele confeccionado e servido por alunos do curso de Hotelaria da Escola Secundária e que foi musicalmente animado com a participação de diversos alunos músicos a frequentarem a Academia de Música de Arouca.

Pretendia a organização destas Jornadas alargar o seu âmbito do conhecimento à astronomia, mas devido às deficientes condições meteorológicas e de visibilidade espacial, tal não foi possível.

Das artes à Ciência

O segundo dia das jornadas iniciou-se com uma comunicação da artista plástica e investigadora Maria Manuela Lopes que apresentou alguns dos seus projetos artísticos e instalações multimédias, muitas delas ligadas à biotecnologia e que se baseiam no estudo experimental das relações das artes com as ciências.

A outra comunicação esteve a cargo da Presidente do projecto “Ciência Viva”,  Rosália Vargas. Referindo-se à Escola Secundária de Arouca, como uma “Escola de estrelas” atendendo ao grande número de prémios alcançados no âmbito da ciência, Rosália Vargas passou em revista algumas das muitas iniciativas que o projeto “Ciência Viva” a que preside, foi desenvolvendo por todo o País, ao longo dos 20 anos da sua existência.

Através do ensino experimental da Ciência levada a cabo por este projecto em escolas, museus, centros de ciência e através da ocupação científica de jovens em férias, a este projecto se deve, no dizer do professor Filipe Ressurreição da ESA, “a democratização da Ciência no nosso País”.

DSCN1915

Futuros cientistas da Escola Secundária

Após estas duas comunicações que foram moderadas por Júlio Borlido Santos, biólogo e comunicador de Ciência do I3S (Instituto de Investigação e Inovação em Saúde) o resto da manhã do segundo dia foi ocupado com a apresentação de vários projectos científicos desenvolvidos por alunos da Escola Secundária nos últimos anos.

DSCN1919

Moderado por outro cientista arouquense, Jorge Gonçalves, professor Catedrático da Faculdade de Farmácia da Universidade do Porto, e por Nuno Cerca, investigador principal no CEB, na Universidade do Minho, por este painel passaram algumas dezenas de alunos do Agrupamento de escolas de Arouca e que apresentaram os projetos em que estão envolvidos.
Um deles, o Anima Film, apresentou alguns dos trabalhos em cinema de animação, realizados por alunos do 1º ciclo do Agrupamento de Escolas de Arouca, destacando-se entre eles a “vaca aguadeira” que foi projectado para todo o auditório.

DSCN1922

Easy foi o segundo projecto apresentado por 3 alunos da Escola Secundária, Cláudia Correia, João Gabriel e João Garcia. Trata-se da criação de um pequeno microscópico portátil e de baixo custo, associado a um simples telemóvel.

Um outro projecto apresentado por uma equipa de alunos da ESA e também ele premiado tem a ver com a detecção de plumas de incêndio a partir do Radar  meteorológico de Arouca, situado na serra da Freita.

Neuro Test foi o quarto projecto apresentado por Beatriz Gomes, Mariana Garcia, Matilde Silva e Paulo Castro e também ele detentor de diversos prémios, quer a nível nacional, quer mesmo internacional. Trata-se de uma ferramenta inovadora, com possível aplicação na indústria farmacêutica e no tratamento de doenças neurodegenerativas.

DSCN1926

A tarde deste segundo dia foi preenchida com uma visita à Serra da Freita, à qual aderiu um pequeno grupo de participantes. Acompanhada por oportunas explicações geológicas fornecidas por uma técnica do Arouca Geopark, esta visita permitiu, não só contemplar a beleza da frecha da Mijarela, como também admirar a deslumbrante paisagem que se avista do cimo da torre meteorológica. A visita terminou na Casa das pedras parideiras onde foi projectado um filme em 3D sobre este raro fenómeno geológico que constitui um dos 41 geosítios dispersos por todo o Geoparque de Arouca.

Refira-se, finalmente, a elaboração de um dossier, com excelente qualidade gráfica, contendo o percurso académico e científico de todos os intervenientes nestas II Jornadas de Ciência em Arouca, bem como uma relação dos prémios e participações internacionais de numerosos alunos deste Agrupamento de Escolas, desde 2004 a 2016.

José Cerca

Publicado no jornal “Discurso Directo” nº433 de 30 de dezembro de 2016

{ 0 comentários }

TROVAS & CANÇÕES

por jcerca em 8 de Dezembro de 2016

Uma homenagem artística à Língua portuguesa

Com a lotação do Auditório da Loja Interativa  completamente esgotada, teve lugar no passado dia 7 de dezembro, um espectáculo em que atores, poetas e cantores  homenagearam, através do canto e da declamação, a Língua Portuguesa.

DSCN1815

Realizado para comemorar os 25 anos da Biblioteca Municipal, instalada desde 1991 no edifício conhecido por “Casa dos padres” este espectáculo contou com a presença dos atores Rui de Carvalho, João de Carvalho (seu filho)  e Henrique de Carvalho (seu neto). Este elenco de artistas que contou ainda com a voz da fadista Ana Marta, foi acompanhado por Ricardo Gama na guitarra portuguesa e por João Correia na viola.

Declamados uns, cantados outros, foram numerosos os poemas de diversos autores portugueses que, ao longo de quase duas horas,  deliciaram a plateia nesta homenagem à Língua Portuguesa.

DSCN1813

Desde Gil Vicente a Camões, passando por Fernando Pessoa, José Régio, António Gedeão, Florbela Espanca, Miguel Torga, Bocage, Ary dos Santos, Manuel Alegre e muitos outros, todos os poemas destes autores, quer cantados, quer declamados, constituíram uma expressiva e artística homenagem à Biblioteca Municipal de Arouca que, ao longo dos seus 25 anos de existência, tem disponibilizado, nas suas numerosas estantes, as obras não só destes autores como de muitos outros, contribuindo assim para o enriquecimento cultural dos seus numerosos leitores.

DSCN1819

No final do espectáculo a vereadora da Cultura, Drª Margarida Belém, referiu a qualidade do espectáculo e relacionou-o com a celebração das bodas de prata da Biblioteca Municipal, tendo entregue a cada um dos artistas um ramo de flores que simbolicamente exprimiram também a beleza artística do espectáculo com que o público foi brindado.

José Cerca

Publicado no jornal “Discurso Directo” nº432 de 09 de dezembro de 2016

{ 1 comentário }