FESTA DE S. JOÃO BOSCO EM AROUCA

por jcerca em 5 de Fevereiro de 2024

Embora o dia de S.João Bosco seja celebrado liturgicamente a 31 de Janeiro, a Família Salesiana de Arouca evocou a memória de S.João Bosco, no dia 4 de fevereiro, com a presença do novo Provincial, Pe. Tarcízio Morais e do Delegado nacional da família salesiana, Pe. Artur Pereira.

O programa da festa começou com uma concentração à volta do busto de D.Bosco, no parque municipal, onde foi cantado o Hino do Centro Juvenil Salesiano da autoria do 2º diretor do ex-Colégio Salesiano, Pe. Carlos Reis (1963-1969) e que faz parte do património imaterial salesiano de Arouca.

20240204_102545

Após o hino do Centro Juvenil, José Cerca, como delegado local da Família Salesiana, deu as boas vindas ao Provincial que, pela primeira vez veio a Arouca, acompanhado do Delegado nacional da FS. Depois de explicar resumidamente a história deste busto e o seu significado para os arouquenses, o delegado local desejou que a presença em Arouca dos dois principais representantes da Congregação Salesiana em Portugal, contribua para ajudar a reforçar e a dinamizar o espírito e o carisma de D.Bosco junto de toda a Família Salesiana de Arouca, ali presente através dos Salesianos Cooperadores e de alguns jovens do Centro Juvenil Salesiano de Arouca.

20240204_103452

Seguidamente, o Provincial manifestou a sua satisfação por estar em Arouca pela primeira vez e exprimiu a sua alegria por sentir vivo o espírito de D.Bosco numa terra que albergou a Obra Salesiana durante 22 anos e que passados 42 anos da sua saída tem conseguido manter presente o carisma do Apóstolo da Juventude neste terra.

A homenagem a D.Bosco, junto do seu busto, terminou com o cântico “Pai e mestre dos jovens” cantado por todos os presentes e acompanhado pelo grupo juvenil da Banda Musical de Arouca.

A Eucaristia evocativa do Apóstolo da Juventude

O momento alto desta festa a D.Bosco foi a Eucaristia dominical concelebrada pelos dois sacerdotes salesianos e que foi animada pelo grupo coral da Associação dos Salesianos Cooperadores, que, além desta participação litúrgica, coordenou também todo o programa desta festa.

No momento de ação de graças foi evocado o sonho profético e orientador que D.Bosco teve aos 9 anos e que traçou o destino da sua vida dedicada à educação dos jovens. Durante esse momento foi depositado no altar de Nossa Senhora Auxiliadora e de D.Bosco um ramo de flores como expressão da beleza, da riqueza e da gratidão que foi a vida deste grande santo da Igreja Católica, totalmente dedicada à educação dos jovens pobres e abandonados.

20240204_115605

Refira-se que antes da Eucaristia o Pe. Tarcízio Morais teve ocasião de percorrer os principais espaços conventuais e de conhecer ainda o valioso recheio artístico guardado no Museu de Arte Sacra. Foi uma maneira, embora rápida, de poder conhecer a grandiosidade do Mosteiro de Arouca e poder calcorrear alguns dos espaços outrora utilizados pelo ex-Colégio Salesiano, entre os anos de 1960 a 1982.

Momento formativo, informativo e recreativo.

Depois do almoço num dos restaurantes da Vila e que reuniu cerca de meia centena de membros da Família Salesiana teve lugar nas instalações da Academia Sénior de Arouca, gentilmente cedidas pela sua Direção, um momento cultural e de convívio, aberto pelo Pe. Artur Pereira que aproveitou para dar algumas informações sobre as próximas atividades direcionadas para a Família Salesiana e apelando à participação nas mesmas.

20240204_151532

Seguiu-se depois a evocação do sonho dos 9 anos através da leitura dramatizada deste episódio do folhetim “O apostolo da Juventude” emitido para todo o País, em 1967, através da antiga Emissora Nacional e cujo texto foi da autoria da escritora Odette de Saint-Maurice.

20240204_153749

Na sequência da evocação deste profético sonho do pequeno João Bosco, Helena Almeida, responsável pela formação no núcleo local dos Salesianos Cooperadores, apresentou uma interessante reflexão/testemunho sobre a importância dos sonhos na vida de cada um.

Esta sessão foi ainda preenchida com alguns momentos musicais, de poesia e de teatro, criando em todos um ambiente de alegria e de boa disposição. Ao encerrar a festa, o Provincial manifestou a sua satisfação por este dia passado em Arouca e deixou uma mensagem de estímulo e de encorajamento para continuarmos a manter vivo o espírito de D.Bosco numa terra tão salesiana como o é Arouca.

20240204_161423

Não é com pancadas….”

Atendendo à comemoração dos 200 anos do sonho dos 9 anos foi entregue a todos os presentes, no final desta sessão, um santinho contendo alguns sábios conselhos de D.Bosco sobre os castigos e que, certamente, terão tido origem no conselho que recebeu nesse seu intrigante sonho:Não é à pancada, mas com bons modos que deves conquistar-lhes a amizade”.

20240204_163149

Por sua vez, o Delegado da Família Salesiana ofereceu a todos um postal contendo no verso a oração a S.João Bosco com que foi encerrada a sua festa em Arouca.

Uma festa que foi composta por momentos de evocação da vida de D.Bosco; momentos de oração e de ação de graças; momentos de formação e informação e também momentos de convívio e de muita alegria, à boa maneira salesiana.

20240204_164741

{ 0 comentários }

OS EVANGELHOS DA INFÂNCIA

por jcerca em 31 de Janeiro de 2024

Curso bíblico on line

Organizado pelo Pe. José Pedro Novais das paróquias de Santa Eulália, Janarde, Moldes e Tropeço pertencentes à vigararia de Arouca – Vale de Cambra, e tendo como base o livro “A infância de Jesus” de Bento XVI, Joseph Ratzinger, decorreu em Arouca, durante 8 sessões, um curso bíblico, sobre os Evangelhos da infância.

Recorrendo à plataforma Zoom este curso foi seguido à distância por cerca de 80 pessoas, incluindo pessoas de outras comunidades cristãs que manifestaram o desejo de aprofundarem a sua formação bíblica, através destas tecnologias que facilitam a comunicação e acrescentam algum conforto na sua obtenção.

20240129_210336

Objetivos do curso

Segundo o promotor deste curso, o seu principal objetivo foi “possibilitar aos leigos em idade adulta uma oportunidade de formação cristã e de aprofundamento na Sagrada Escritura, da forma o mais clara e cómoda possível.” Daí a opção pela plataforma Zoom, o que permitiu que pessoas de outras paróquias, e até emigrantes, pudessem frequentar este curso, cujas sessões nunca ultrapassaram os 40 minutos.

20240129_211241

Referira-se ainda que além do objetivo geral da formação de leigos, o seu formador pretendeu também com este curso “a capacitação de catequistas”, promover “uma maior familiaridade dos cristãos leigos com a Bíblia” e fomentar ainda “uma cultura de interparoquailidade” o que fez com que o curso acabasse por alargar-se a outras paróquias e vigararias.

Encerramento do curso

A última sessão foi prioritariamente presencial e teve lugar no dia 29 de janeiro no auditório da creche da paróquia de Santa Marinha de Tropeço.

Sendo transmitida igualmente pela plataforma Zoom para quem não se pode deslocar a Tropeço, esta última sessão contou com a presença do bispo auxiliar do Porto, D. Roberto Mariz que se encontrava a fazer a visita pastoral àquela paróquia. Terminada a exposição do formador, D.Roberto agradeceu a iniciativa deste curso, bem como a participação de um bom grupo de cristãos desejosos de aprofundarem a sua formação bíblica, salientando que tudo o que contribua para o aprofundamento da nossa fé é de louvar e de apoiar.

20240129_223825

Esta última sessão terminou com um agradável momento de convívio social e gastronómico, vindo assim acrescentar um pouco de socialização humana às restantes sessões à distância pelo Zoom.

Refira-se que este é o 2º curso bíblico realizado pelo Pe. José Pedro Novais, nesta modalidade, tendo sido o primeiro sobre a “introdução ao livro dos Salmos”. Segundo desejos do formador, o próximo curso terá como tema a figura de Nossa Senhora, onde será feita uma aproximação à figura e à missão de Maria a partir do Antigo Testamento.

20240129_223534

José Cerca

{ 0 comentários }

JORNADAS DA CIÊNCIA 2023

por jcerca em 16 de Dezembro de 2023

Em jeito de balanço

Decorreu nos dias 15 e 16 de dezembro de 2023 a 7ª edição das Jornadas de Ciência, iniciadas em 2015 pela Associação Circulo Cultura e Democracia, em colaboração com a Autarquia e as Escolas de Arouca.

JC_cartaz

A edição deste ano foi suportada por duas poderosas colunas que trouxeram uma interessante marca de intercâmbio intergeracional em que os conhecimentos de duas gerações se intercruzaram e enriqueceram mutuamente.

A primeira coluna foi constituída pela apresentação de diversos projetos feitos por alunos do 10º e 11º anos da Escola Secundária de Arouca e também da Escola de Escariz.

Foi surpreendente a qualidade desses projetos e a mestria com que foram apresentados ao público pelos respetivos alunos que os integraram.

A segunda coluna destas Jornadas de Ciência foi composta por brilhantes palestrantes que encantaram a plateia (um pouco flutuante ao longo destes intensos dia e meio de jornadas) pela sua capacidade comunicativa e pelos seus entusiasmantes testemunhos de vida.

Entre esses, destaque-se a comunicação da drª Verónica Orvalho, especialista em computação gráfica, pela sua mensagem de luta, pelo seu estímulo à inovação suportado por uma atitude de esforço, de estudo e de dedicação que quis deixar a todos os que a escutaram com imenso interesse.

Além desta brilhante oradora, sustentaram esta coluna outros palestrantes em diversas áreas, tais como a drª Adélia Adélia Almeida do Município de Arouca que falou da 2ª revisão do PDM concelhio; a drª Eva Malta Pinto, no campo da biodiversidade; a eng. Cecília Silva no campo da acessibilidade e mobilidade; a drª Sara Duarte Correia no campo do turismo em espaços rurais.

As Jornadas terminaram com uma brilhante comunicação feita pelo dr. Álvaro Domingues sobre uma interessante e enriquecedora visão do “Território como política”.

JCiencia_abertura

A conjugação destas duas importantes colunas, além de lhe darem uma marca de intergeracionalidade, fizeram destas Jornadas de Ciência, uma autêntica Jornada de empreendedorismo e de auto-motivação tão importantes para quem se quer lançar no mundo da inovação que abre horizontes imensos num mundo em profunda transformação, não só tecnológica e científica, como também social e cultural.

20231216_115834

No encerramento destas jornadas refira-se, não só as palavras, com profunda marca arouquense, da Presidente da Câmara, drª Margarida Belém, em congratulação com este encontro de debate e de enriquecimento científico, como também as do Dr. Sobrinho Simões que não consegue esconder nunca o entusiasmo que tem, não só por Arouca, mas também por estas Jornadas de Ciência, iniciadas há 7 anos pela Associação Circulo Cultura e Democracia, da qual é um dos fundadores.

Parabéns aos organizadores de mais esta edição e a todos os que contribuíram para o seu sucesso.

José Cerca

{ 0 comentários }

SALESIANOS COOPERADORES DE AROUCA EVOCAM MÃE MARGARIDA

por jcerca em 25 de Novembro de 2023

Formação sobre mãe Margarida_mesa

Ocorrendo a 25 de novembro o 167º aniversário da morte da mãe de D.Bosco, Margarida Occhiena, o núcleo local dos Salesianos Cooperadores de Arouca quis evocar a memória desta extraordinária mulher, declarada Venerável por Bento XVI em 2006.

O primeiro momento teve lugar no espaço de formação mensal em que foi projetado e comentado um vídeo sobre Mãe Margarida, ela que foi a primeira cooperadora de Bosco. No sonho que o seu filho Joãozinho Bosco teve aos 9 anos, ela mostrou já a sua sábia intuição maternal, ao interpretar o significado desse sonho como uma possível indicação de que o seu filho poderia vir a ser padre: “Quem sabe se não serás padre?”

Formação de novembro

O segundo momento teve lugar, após a formação, na igreja do Mosteiro de Arouca, onde foi rezado o terço com meditação sobre a venerável Mãe Margarida, em frente ao altar da outra mãe de D.Bosco, Maria Auxiliadora, justamente designada por “Virgem de D.Bosco”.

Reza do terço

Refira-se que a imagem que aí se encontra, ao lado de um pequeno busto de D.Bosco, é a mesma imagem que durante muitos anos esteve na capela dos Salesianos, no tempo em que a obra salesiana esteve presente em Arouca. Depois de devidamente restaurada essa imagem foi aí colocada à veneração dos seus devotos, em setembro de 2022, durante a evocação do 40º aniversário da saída dos Salesianos de Arouca.

IMG_20221208_122632

{ 0 comentários }

ASARC VISTA CASA DE CAMILO

por jcerca em 3 de Novembro de 2023

No dia 31 de outubro a Academia Sénior de Arouca realizou uma visita de estudo à casa onde Camilo Castelo Branco passou os últimos 26 anos da sua vida e onde escreveu grande parte das suas obras, em S.Miguel de Seide, no concelho de Famalicão.

Numa altura em que a figura de Camilo trouxe para a comunicação social uma desnecessária e inoportuna polémica, relacionada com o pedido para a retirada do espaço público de uma estátua deste escritor, frente a Cadeia da relação do Porto, proposta à Câmara do Porto, por um grupo de personalidades, a escolha deste 1º itinerário literário da Asarc não poderia ter sido mais adequada e oportuna.

 20231031_114105

A casa de Camilo

Recentemente remodelada, a 16 de março de 2022, essa casa habitada por Camilo e Ana Plácido desde 1863 a 1890, abriu ao público em 1922 como Museu camiliano e conserva algum mobiliário, utensílios pessoais do escritor, centenas de cartas, bem como uma grande parte da sua biblioteca particular.

Toda pintada exteriormente com um amarelo vivo para exprimir o poder económico de quem a mandou construir em 1830, Manuel Pinheiro Alves, um português que ganhou avultada fortuna no Brasil e que foi casado com Ana Plácido que viria a apaixonar-se por Camilo, com quem acabaria por casar e aí viver, após a morte do seu primeiro marido.

 A casa-museu: do espólio às vivências

Atendendo ao numeroso grupo arouquense, a visita foi desdobrada em dois grupos simultâneos, acompanhado cada um pelo respetivo guia.

E mais do que o recheio e o ambiente camiliano que esta casa encerra, foram importantes e marcantes as vivências que os guias conseguiram despertar nos visitante seniores, através, não só de uma grande interação com os mesmos, como também mediante a declamação de alguns sonetos de Camilo e através da interpretação de excertos de algumas das suas obras, como, por exemplo, a “Maria Moisés” das Novelas do Minho. Isso permitiu mesmo aos curiosos e atentos visitantes saborear também um pouco da riqueza vocabular da prosa camiliana.

20231031_102804

Foi graças à maneira viva e entusiasmante com que os guias foram percorrendo os diversos espaços desta casa-museu que os visitantes puderam sentir e vivenciar que, dentro daquela casa, coexistiu a luz artística de um génio literário com a escuridão da loucura e do desespero que viria a ter o seu desenlace dramático no dia 1 de junho de 1890, com o suicido do escritor, certamente desencadeado pela sua irrecuperável cegueira.

E se lá dentro, ao lado da secretária de dupla face onde Camilo escrevia, em companhia de Ana Plácido, continua presente a cadeira balouçante que acolheu o desfecho trágico daquele que foi o 1º profissional a viver da escrita, lá fora, diante da casa, permanece a imponente “Acácia do Jorge” a perpetuar outra das muitas vicissitudes da conturbada vida do escritor: a loucura de um dos seus filhos.

20231031_110220

E se o espólio desta casa-museu poderá, facilmente, ser guardado no telemóvel de cada visitante que o deseje, a verdade é que serão as vivências, despertadas pelos guias, a melhor e mais indelével recordação que cada visitante levará consigo na sua memória.

E se tal visita despertar ainda o desejo de conhecer ou revisitar algumas das obras camilianas, tanto melhor. Será oiro sobre azul.

Belezas do Minho

Esta visita à casa de Camilo foi completada com uma breve digressão pela região de Guimarães com uma paragem na Tasca da Carroça para o agradável momento gastronómico que faz sempre parte de qualquer visita de estudo organizada pela Asarc.

20231031_143746

Após almoço, seguiu-se um breve percurso pela zona histórica de Guimarães e uma visita guiada ao Palácio dos Duques de Bragança, com explicação sobre os hábitos e costumes aí vividos pela nobreza no sec. XV, nomeadamente pelo 1º Duque de Bragança, D.Afonso que foi filho (ilegítimo) do rei D.João I.

20231031_155530

E com este recuar no tempo, quer à época camiliana, quer ao período da nossa monarquia medieval, se completou mais uma visita de estudo turístico-cultural organizada pela Asarc e que enriqueceu todos os que nela tiveram o privilégio de participar.

20231031_152954

José Cerca

{ 0 comentários }