RADIOGRAFIA CRIATIVA

por jcerca em 4 de Março de 2017

Depois do primeiro “Serão do Círculo”, que decorreu na Casa dos Doces Conventuais, no passado mês de agosto, tendo “Viver Arouca” como tema desta tertúlia, teve lugar no dia 24 de fevereiro, no Assembleia Bar, a segunda edição dos “serões do Círculo” promovida pela Associação Círculo Cultura e Democracia.

Tendo como tema “Arouca – Radiografia Criativa” este evento proporcionou um debate muito participado sobre o conceito de criatividade em diferentes campos, desde o artístico e cultural, até ao empresarial.

tertuliaCCD (1)O formato deste serão foi organizado por 3 jovens arouquenses, André Gomes, Luís Alexandre e Samuel Gonçalves que abriu o serão com a apresentação do tema que pretendia fazer uma radiografia à criatividade no concelho de Arouca. Coube-lhe ainda fazer a apresentação dos elementos convidados para esta segunda tertúlia: Ana Helena Pinto, responsável pelo projecto Geofood em Arouca, Carlos Brandão, na qualidade de empresário da Chatron, Ivo Brandão na sua vertente de músico, Tiago Martins, como responsável pela empresa de software-hardware “Brain One”  e João Martins, na qualidade de presidente da Associação Movimento Fotográfico de Arouca. Cada um destes tertuliantes foi dando a sua perspectiva sobre o conceito de criatividade na área que representava,  recebendo depois, por parte do público, um conjunto diversificado de questões ou de achegas que alimentaram esta tertúlia ao longo de quase  três horas, permitindo, ao mesmo tempo, um interessante diálogo intergeracional sobre o conceito de criatividade no território arouquense. O debate foi moderado por Luís da Silva Alexandre.

Ao longo desta tertúlia várias conceitos de criatividade foram sendo confrontados através de um diálogo muito produtivo, concluindo-se que a criatividade não visa apenas gerar valor e produzir progresso e desenvolvimento, mas também prazer e realização pessoal, sobretudo quando se fala em criatividade artística.

Em resumo, a criatividade precisa de um espaço em que nos sintamos bem para nos relacionarmos uns com os outros e nós com o mundo. E nesse sentido o território de Arouca é inspirador e fomentador de criatividade.

José Cerca

Publicado no jornal “Discurso Directo” nº438 de 10 de março de 2017

Anterior:

Seguinte: