PONTE 516 AROUCA: UMA TRAVESSIA PARA O FUTURO

por jcerca em 3 de Maio de 2021

Dia 2 de maio do ano de 2021: inauguração da maior ponte suspensa do mundo!
Ao virar mais uma página da história de Arouca, três mulheres estiveram presentes nesta data histórica: Mafalda Sanchez, filha do 2º rei de Portugal e que Arouca escolheu, merecidamente, para sua padroeira; Margarida Belém, representante do poder local autárquico e líder atual na condução dos destinos e do desenvolvimento do vasto concelho de Arouca e Ana Abrunhosa, representante do poder político e Ministra da Coesão Territorial do atual Governo.
Três mulheres que iniciaram simbólica mas expressivamente esta “travessia para o futuro”
“Bem-vindos ao futuro”, assim terminou Margarida Belém o seu discurso de inauguração da maior ponte suspensa do mundo.

IMG_2905

 Finalmente, a tão esperada inauguração chegou!

Pronta há largos meses, a ponte suspensa designada por “516 Arouca”, teve a sua inauguração condicionada pela pandemia que veio alterar a vida de todos e confinar grande parte dos eventos sociais, culturais ou musicais.
Apesar da situação não estar ainda totalmente controlada e continuar a exigir os maiores cuidados por parte de todos, o dia 2 de maio, feriado municipal e dia da Rainha Santa Mafalda assinalou, finalmente, e depois do adiamento de várias datas, a inauguração da maior ponte suspensa do mundo e que será certamente uma das maiores atrações do norte do País.
A data escolhida não poderia ter sido melhor. Além do belíssimo dia que esteve, meteorologicamente falando, a natureza envolvente conseguiu brindar os presentes com as cores verde e amarelo da bandeira e do brasão de Arouca.

IMG_2891

Arouquenses rendidos à beleza e magia da sua ponte

Nos três dias anteriores à inauguração oficial, os arouquenses, portadores de cartão de residente e que se inscreveram na plataforma digital da 516 Arouca, tiveram a oportunidade de atravessarem gratuitamente a sua mais famosa ponte.
Além disso, durante a semana anterior à inauguração, a Câmara convidou várias associações e grupos de arouquenses para atravessarem a ponte o que representou uma atenção, aliás merecida, para com os arouquenses, tão orgulhosos da sua ponte que, nestes últimos dias, tem captado a atenção de numerosos média, não só nacionais, como internacionais, levando assim o nome de Arouca pelos quatro cantos do mundo.
Refira-se ainda que, antes da inauguração propriamente dita, teve lugar uma espécie de pré-inauguração e que consistiu num desfile de moda pelo tabuleiro da ponte, organizado pela marca Marques’Almeida e que, num vídeo de 12 minutos, permitiu divulgar imagens fantásticas desta bela ponte suspensa a 175 metros acima do rio Paiva.
Por tudo isto, tem sido bem visível, sobretudo a partir das redes sociais, o enorme orgulho,não só dos residentes em Arouca, mas também de muitos arouquenses dispersos por todo o mundo, por esta extraordinária obra de engenharia portuguesa implantada em território do Geopark Arouca e inserida nos já famosos e multi premiados Passadiços do Paiva.
O medo de alguns no início da ponte transformou-se, bem depressa, num sensação de alívio, de entusiasmo, de euforia e também de orgulho por termos em Arouca a maior ponte pedonal suspensa do mundo.

A inauguração – uma travessia para o futuro.

Numa data de grande significado para todos os arouquenses, não fosse o dia 2 de maio feriado municipal, a inauguração da ponte 516 Arouca contou com a presença da Ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa.

A entrada da comitiva inaugural na ponte suspensa deu-se pelo pilar de Alvarenga situado a a cerca de 1200 metros das escolas primárias. Depois de percorridos os 516 metros do tabuleiro teve lugar, no pilar de Canelas, o descerramento de uma lápide comemorativa desta inauguração.

IMG_2909

No uso da palavra, a Presidente da Câmara, Margarida Belém, começou por destacar o grande significado deste dia para Arouca, evocando todo um passado glorioso de esplendor e de prosperidade que nos vem desde a neta do 1º rei de Portugal e cuja memória se encontra expressa na grandiosidade daquele que é uma das maiores obras da arquitetura religiosa e civil a nível nacional, o Mosteiro de Santa Maria de Arouca.

Considerando que a ponte que hoje se inaugura, precisamente no dia da padroeira de Arouca, é também ela um prodígio da engenharia nacional, e representa a escrita de mais uma página da nossa história, a Presidente da Câmara elogiou a vasta equipa multidisciplinar que permitiu a construção dessa obra em pleno Arouca Geopark e magnificamente inserida nos Passadiços do Paiva.

Além da equipa municipal, Margarida Belém destacou na equipa que esteve por detrás desta grandiosa obra de engenharia o ITeCons – Instituto de Investigação e Desenvolvimento Tecnológico para a Construção, Energia, Ambiente e Sustentabilidade da Universidade de Coimbra, a empresa construtora Conduril e o LNEC – Laboratório Nacional de Engenharia Civil. Referiu ainda o papel do seu antecessor, eng. Artur Neves, atual Presidente da Assembleia Municipal, pois foi durante o seu mandato que este sonho começou e que ela teve o privilégio de concretizar e inaugurar.

Considerando a inauguração desta ponte “uma travessia para o futuro” Margarida Belém fez questão de recordar, perante o membro do Governo presente, que esse futuro implica a melhoria das acessibilidades, nomeadamente a conclusão da variante, bem como a cobertura da internet em todo este vasto território e ainda o acesso a todos à água e ao saneamento.

IMG_2912

 Usando da palavra a Ministra da Coesão Territorial considerou a “516 Arouca” uma “obra tremenda da engenharia portuguesa e que constituiu um enorme desafio para todos os envolvidos”. Segundo a Ministra esta é também uma “obra revolucionária” porque é um teste à nossa capacidade criadora e inovadora.

Sendo uma belíssima estrutura que vem valorizar uma paisagem fantástica envolvente, Ana Abrunhosa referiu que ela é também uma infraestrutura “inclusiva”, pois permite receber pessoas deficientes.

Após um breve período de perguntas feitas pelos diversos órgãos de comunicação social, a Ministra da Coesão territorial, acompanhada da Presidente da Câmara e demais comitiva fez o percurso dos Passadiços do Paiva até à praia do Vau onde teve ocasião de atravessar mais uma ponte suspensa, a primeira ponte dos Passadiços inaugurados a 20 de junho de 2015 e que passados cerca de 6 anos após a sua inauguração viria a ter, a cerca de 3 km dela, a maior ponte suspensa do mundo, a 516 Arouca.

IMG_2956

Preços de acesso à ponte privilegiam os residentes

A partir do dia 3 de maio a ponte ficou aberta ao público geral que deverá fazer a sua marcação e adquirir o respetivo bilhete na Central de reservas da plataforma da ponte.

Uma curiosidade é que os visitantes residentes em Arouca podem atravessar a ponte gratuitamente, sempre que o quiserem, se forem possuidores do cartão-residente que, pelo custo de 5 euros, lhes garante livre-trânsito durante três anos, quer na ponte, quer nos Passadiços do Paiva.

Quanto aos restantes visitantes, oriundos de outros territórios terão que pagar 10 a 12 euros pelo bilhete de acesso, consoante a sua idade, mas esse custo dá também acesso aos Passadiços do Paiva.

Refira-se que o acesso à ponte está interdito a menores de seis anos e que as crianças e jovens até aos 17 anos pagam 10 euros, assim como maiores de 65 anos, enquanto o bilhete para a restante população custa 12 euros.

IMG_2915

 A ponte, uma obra da engenharia nacional

Esta obra de engenharia é fruto de um projeto do ITeCons – Instituto de Investigação e Desenvolvimento Tecnológico para a Construção, Energia, Ambiente e Sustentabilidade da Universidade de Coimbra, e a sua execução foi confiada à empresa Conduril de Ermesinde, uma empresa portuguesa dedicada à execução de Obras de Engenharia Civil e Obras Públicas.

A ponte pedonal suspensa sobre o rio Paiva tem um vão de 516 metros e uma altura do rio de aproximadamente 175 metros. O tabuleiro é em gradil metálico com largura útil de 1,20 metros, sempre com guarda lateral e constituído por 127 módulos de 4 metros de comprimento cada um.

IMG_2863

 A estrutura demorou cerca de 3 anos a ser construida e representa um investimento total de 2,1 milhões de euros. Esta obra foi cofinanciada pelo Programa Operacional Regional do Norte – NORTE 2020 (PROVERE), Portugal 2020 e União Europeia, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER).

A estrutura está apoiada por dois cabos suportados por duas enormes torres em forma de V, uma na Freguesia de Canelas, outra na Freguesia de Alvarenga e liga ambas as margens do rio Paiva permitindo observar deste belo miradouro suspenso, não só a beleza da queda de água das Aguieiras, como também a maior escadaria em madeira dos Passadiços do Paiva que se cruzam com esta ponte.

Esta obra de engenharia totalmente portuguesa oferece aos seus visitantes motivos diversos de interesse que vão deste os curiosos pela ciência e pela engenharia, aos amantes da natureza e também àqueles que gostam de sentir emoções fortes. Tudo isto disponível na 516 Arouca, a maior ponte suspensa do mundo e que veio retirar esse lugar à ponte Charles Kuonen, em Zermatt, na Suíça, com 494 metros de comprimento e que foi inaugurada em 2017.
Bem-vindos ao futuro!…

 José Cerca

 

{ 1 comentário… lê abaixo ou adiciona }

1 Antonio Coelho 3 de Maio de 2021 às 13:55

Parabéns aos que sonharam este projecto e aos que contribuíram para que ele se tornasse realidade. Uma demonstração de que não falta também em Arouca nem criatividade nem determinação para superar outros obstáculos que bloqueiam o progresso da nossa terra.
A. Teixeira Coelho

Responder

Anterior: