Biblioteca Municipal

por jcerca em 15 de Abril de 2009

Tolerância incompreensível

Aproveitando a tolerância de ponto concedida para a tarde de 5ª feira Santa, por despacho assinado pelo Primeiro Ministro, decidiu a Câmara Municipal de Arouca aplicar essa prerrogativa também à Biblioteca Municipal para os dias 9 e 13 de Abril, o que fez com que esse serviço, de interesse público, estivesse encerrado durante 5 dias.

Sabendo que qualquer tolerância de ponto é sempre bem-vinda para aqueles que dela podem usufruir, “os trabalhadores que exercem funções públicas na administração central e nos institutos públicos”, essa prorrogativa deverá, apenas abranger os serviços públicos “não essenciais”, tal como consta no referido despacho do Primeiro Ministro.

Embora nada tenhamos contra a concessão de tais permissões, o certo é que estes despachos criam sempre situações de injustiça, ao dividir os portugueses em cidadãos de 1ª e 2ª classe.

Enquanto uns podem usufruir de tais regalias no Natal, no Carnaval e na Páscoa, a maioria dos portugueses fica excluída de tais benesses. Mas os nossos políticos não enxergam tal discriminação, pois não são por ela afectados!

Mas o que será mais criticável nesta tolerância de ponto é o facto dela ser aplicada a uma Biblioteca Municipal, prestadora de um serviço de interesse público que é tanto mais utilizado quanto melhores condições de tempo livre e de lazer tiverem os cidadãos.

Que diriam os turistas se encontrassem os serviços de turismo, museus, igrejas e monumentos encerrados aos fins-de-semana?

Encerrar uma Biblioteca precisamente em dias de lazer para os cidadãos é uma medida que apenas beneficia interesses particulares, em detrimento do interesse público. E isso é incompreensível.

José Cerca

Publicado no Semanário “Discurso Directo” nº 50 de 17 de Abril de 2009

Anterior:

Seguinte: