Perante os tubos silenciosos de um magnífico órgão ibérico, datado de 1743, e num cenário acusticamente privilegiado e artisticamente embelezado por motivos barrocos, teve lugar no dia 25 de março, no cadeiral do Mosteiro de Arouca, um concerto pela “Cappella Musical Cupertino de Miranda”.

Desta vez, nem o órgão, nem qualquer outro instrumento musical, atuou para pôr em destaque a beleza e a harmonia polifónica das 8 vozes que compunham este grupo da Fundação Cupertino de Miranda, dirigido por Luís Toscano.

cappellaMusicalCM (1)

Interpretando peças polifónicas de diversos autores dos sec.XVI e XVII, no coro alto do Mosteiro de Arouca, mesmo ao lado do seu imponente órgão de tubos, que desta vez assistiu em silencio, este concerto cativou o público presente pela beleza acústica que a harmonia da voz humana a todos conseguiu tocar, não só de uma maneira artística, como também espiritual.

Tendo tido lugar no dia 25 de março, dia liturgicamente dedicado à Anunciação a Nossa Senhora, e sendo realizado no Mosteiro de Santa Maria de Arouca, no ano em que se comemora o 1º centenário das aparições de Nossa Senhora em Fátima, este concerto teve a particularidade de incluir no seu repertório uma peça mariana, o Magnificat do 8º tom, um inédito que se encontra no Códice polifónico de Arouca pertencente ao Mosteiro e que se guarda no Museu de Arte Sacra de Arouca.

cappellaMusicalCM (2)

Pena foi que que este esplêndido espaço do Mosteiro de Arouca não tivesse estado tão cheio de gente como cheio de beleza vocal e artística ele esteve, neste excelente concerto que a “Cappella Musical Cupertino de Miranda” deu em Arouca.

Esperemos que outros concertos aconteçam proximamente, até porque, no final do espectáculo foi feita a atualização de  um protocolo existente entre a Câmara Municipal de Arouca e a Fundação Cupertino de Miranda com o intuito de serem promovidos futuramente mais concertos com a qualidade vocal e harmoniosa que este demonstrou.

O que é o Códice polifónico de Arouca?

O Códice polifónico de Arouca é um valioso documento musical que se encontra  guardado, no Museu de Arte Sacra de Arouca, ao lado de muitos outros manuscritos musicais de grande valor documental e histórico, à espera, desde há vários anos, de melhores condições de exposição ao público.

Trata-se de um livro de música polifónica copiado originalmente entre a primeira e segunda décadas do século XVII, para ser usado pelas freiras do Mosteiro de Arouca nos ofícios litúrgicos desta comunidade cisterciense.

cappellaMusicalCM (3)

De entre os vários livros musicais guardados no Museu de Arte Sacra é considerado o único do mosteiro de Arouca com reportório exclusivamente polifónico, contendo peças de destacados compositores ibéricos dos séculos XVI e XVII, ligados sobretudo a Évora, a Coimbra e ao Brasil.

O material deste manuscrito composto por 103 fólios, distribuídos por catorze cadernos, é em papel de linho, com encadernação de carneira castanha.

Passar as partituras deste códice para a fruição auditiva do público é, certamente, também um dos objectivos do referido protocolo celebrado, nesta data, entre a Câmara Municipal de Arouca e a Fundação Cupertino de Miranda.

José Cerca

Fotos de Sandra Gomes

Publicado no jornal “Discurso Directo” nº440 de 7 de abril de 2017

{ 0 comentários }

GUIA PRÁTICO DO CONSUMIDOR IDOSO

por jcerca em 22 de Março de 2017

DIA MUNDIAL DOS DIREITOS DO CONSUMIDOR

Dedica iniciativa ao consumidor sénior

Para assinalar o dia mundial dos direitos do consumidor teve lugar, no dia 20 de março, na Fundação Cupertino de Miranda no Porto, uma jornada de informação e debate tendo como tema geral o “consumidor sénior, consumidor informado”.

Organizada pela Direção-Geral do Consumidor e pela Fundação Cupertino de Miranda, esta iniciativa pretendeu abranger todos os 17 municípios que integram a Área Metropolitana do Porto. Arouca esteve representada pela Academia Sénior (ASARC) que levou 10 dos seus alunos a estarem presentes nesta jornada dedicada ao consumidor sénior e durante a qual foi entregue aos participantes de todos os municípios da AMP o “Guia prático do consumidor idoso”. Com boa apresentação, muito bem estruturado e contendo informação muito prática e bem acessível, esta publicação da Direção-Geral do Consumidor constitui um excelente subsídio para a divulgação de informação muito útil, actual e pertinente dirigido a todos os seniores.

cupertino de miranda

A sessão foi aberta pela Presidente da Fundação Cupertino de Miranda, Drª Maria Amélia Cupertino de Miranda, que salientou  o projecto de educação financeira que a Fundação vem desenvolvendo desde 2009, através das Oficinas de capacitação financeira abertas a todos aqueles que as desejem frequentar, de modo a tornarem-se consumidores responsáveis e bem informados.
Presente nesta jornada esteve também o Secretário de Estado Adjunto e do Comércio, Dr.Paulo Ferreira que destacou a importância da capacitação do consumidor sénior para estar bem informado e saber tomar boas decisões no mundo do consumo. Aproveitou a ocasião para informar que, a partir de 1 de lulho, estará disponível o livro de reclamações on line.

Em representação da AMP esteve o Presidente da Câmara de Valongo, Dr. José Manuel Ribeiro.

Círculos de Conversa

Terminada a abertura da sessão deu-se início aos trabalhos através da constituição de 17 grupos, um por município, e nos quais foram apresentados e debatidos os diversos temas constantes no “Guia prático do consumidor idoso”, estando presente uma técnica da Direção-Geral do Consumidor.

CupertinoMiranda_grupo Arouca

Após o almoço, servido no refeitório da Fundação, teve lugar um momento de partilha através da apresentação da síntese do debate de cada grupo.

A tarde foi ainda ocupada com a apresentação de duas palestras, um sobre a “gestão da poupança” e outra sobre a importância da “educação financeira para seniores”, alertando para os riscos que podem atingir muitas pessoas da 3ª idade, até porque muitos dos produtos financeiros existentes são complexos, daí a necessidade de se combater a iliteracia financeira.

Esta jornada do dia Mundial  dos Direitos do Consumidor foi encerrada conjuntamente pela Presidente da Fundação Cupertino de Miranda e pela Diretora-Geral do Consumidor, Drª Ana Catarina Fonseca. Ambas se congratularam pela presença de todos os municípios da AMP e apelaram à responsabilidade de cada grupo presente no sentido de, em cada município, serem criadas dinâmicas de formação e informação sobre a temática da defesa do consumidor sénior.

José Cerca

Publicado no jornal “Discurso Directo” nº439 de 24 de março de 2017

{ 0 comentários }

RADIOGRAFIA CRIATIVA

por jcerca em 4 de Março de 2017

Depois do primeiro “Serão do Círculo”, que decorreu na Casa dos Doces Conventuais, no passado mês de agosto, tendo “Viver Arouca” como tema desta tertúlia, teve lugar no dia 24 de fevereiro, no Assembleia Bar, a segunda edição dos “serões do Círculo” promovida pela Associação Círculo Cultura e Democracia.

Tendo como tema “Arouca – Radiografia Criativa” este evento proporcionou um debate muito participado sobre o conceito de criatividade em diferentes campos, desde o artístico e cultural, até ao empresarial.

tertuliaCCD (1)O formato deste serão foi organizado por 3 jovens arouquenses, André Gomes, Luís Alexandre e Samuel Gonçalves que abriu o serão com a apresentação do tema que pretendia fazer uma radiografia à criatividade no concelho de Arouca. Coube-lhe ainda fazer a apresentação dos elementos convidados para esta segunda tertúlia: Ana Helena Pinto, responsável pelo projecto Geofood em Arouca, Carlos Brandão, na qualidade de empresário da Chatron, Ivo Brandão na sua vertente de músico, Tiago Martins, como responsável pela empresa de software-hardware “Brain One”  e João Martins, na qualidade de presidente da Associação Movimento Fotográfico de Arouca. Cada um destes tertuliantes foi dando a sua perspectiva sobre o conceito de criatividade na área que representava,  recebendo depois, por parte do público, um conjunto diversificado de questões ou de achegas que alimentaram esta tertúlia ao longo de quase  três horas, permitindo, ao mesmo tempo, um interessante diálogo intergeracional sobre o conceito de criatividade no território arouquense. O debate foi moderado por Luís da Silva Alexandre.

Ao longo desta tertúlia várias conceitos de criatividade foram sendo confrontados através de um diálogo muito produtivo, concluindo-se que a criatividade não visa apenas gerar valor e produzir progresso e desenvolvimento, mas também prazer e realização pessoal, sobretudo quando se fala em criatividade artística.

Em resumo, a criatividade precisa de um espaço em que nos sintamos bem para nos relacionarmos uns com os outros e nós com o mundo. E nesse sentido o território de Arouca é inspirador e fomentador de criatividade.

José Cerca

Publicado no jornal “Discurso Directo” nº438 de 10 de março de 2017

{ 0 comentários }

ASARC PROMOVE PALESTRA SOBRE SAÚDE

por jcerca em 3 de Março de 2017

Depois da primeira palestra/tertúlia sobre Cidadania no passado dia 15 de dezembro feita pelo prof. Zeferino Brandão, teve lugar no dia 2 de março, uma nova palestra, desta vez sobre Saúde proferida por um jovem médico arouquense, o Dr. José Filipe Cerca.

palastra_saúde (3)

De uma maneira muito acessível e em interacção com o público, o palestrante foi apresentando algumas das mais frequentes questões que se colocam habitualmente sobre a diabetes mellitus, do tipo 2.

Será a diabetes uma doença? Como sabemos se temos diabetes? Por que é que temos a diabetes? Quais as consequências da diabetes? Estarei em risco de ter diabetes? E se tiver, que fazer?
Estas foram algumas das questões levantadas sobre este tema e que mereceram todo o interesse por parte dos participantes, bem como uma adequada explicação por parte do palestrante.

palastra_saúde (2)
Atendendo ao público destinatário, o Dr. Filipe Cerca apontou, como principais medidas para o controlo metabólico desta doença, a alimentação equilibrada e o exercício físico continuado, nomeadamente pequenas, mas constantes caminhadas.

Publicado no jornal “Discurso Directo” nº438 de 10 de março de 2017

{ 0 comentários }

CRISMA EM AROUCA

por jcerca em 28 de Fevereiro de 2017

Com a presença do Bispo auxiliar do Porto, D. António Augusto Azevedo, realizou-se no dia 26 de fevereiro, na igreja do Mosteiro de Arouca, a celebração do Crisma a 84 jovens oriundos das paróquias de S.Bartolomeu de Arouca, S.Miguel deCanelas e S.Martinho de Espiunca.

DSC_0224

Foi uma celebração muito participada e muito festiva à qual se associaram o Presidente e a Vice-Presidente da Câmara de Arouca, bem como o Presidente do  agrupamento de freguesias de Arouca e Burgo e um representante dos Bombeiros Voluntários de Arouca.

Durante a homilia, o Bispo auxiliar manifestou a sua alegria e a sua esperança pela profissão pública da fé deste numeroso grupo de crismandos, desejando que eles sejam fermento renovador das comunidades a que pertencem.

DSC_0218

No final da celebração uma representante dos crismados dirigiu uma breve mensagem ao sr. Bispo e entregou-lhe, em nome de todos os jovens crismados, uma  pequena cruz cravada sobre uma ardósia local.

DSC_0209

Antes da bênção final D.António Augusto pediu a todos os jovens crismados, agora portadores dos dons do Espírito Santo, que saibam ser felizes, fortes e fiéis.

DSC_0217

Publicado no jornal “Discurso Directo” nº438 de 10 de março de 2017

{ 0 comentários }