IV ENCONTRO DE COROS NÁDIA OLIVEIRA

por jcerca em 6 de Junho de 2011

Cerca de uma centenas de vozes pertencentes a três coletividades musicais vindas do Estoril e de Águeda (Barrô)  a convite do Orfeão de Arouca, constituíram, com a sua bela polifonia, o IV encontro de coros Nádia Oliveira que teve lugar no Auditório CIT (Cine Globo d’Ouro), no passado dia 4 de Junho.

A homenagem em dueto polifónico

Tornar presente e vivo um passado que rompeu abruptamente com um presente cheio de legítimos sonhos e promissoras esperanças, foi, de algum modo, também o objetivo deste IV encontro de coros Nádia Oliveira.

Coro da Escola Salesiana de Santo António do Estoril

A evocação desse passado e a homenagem sentida a este membro do Orfeão de Arouca,  foi feita por, Fernando Oliveira, seu pai, através de palavras repassadas de emoção e que recordaram alguns dos muitos momentos artísticos em que a Nádia eternizou a sua existência, através da música, em diversos palcos do País, incluindo o palco televisivo.

De entre os diversos trechos musicais interpretados neste Encontro, houve um que, pela sua simbologia poética, foi expressamente dedicado a Nádia Oliveira: “Sobe, sobe, balão, sobe vai dizer àquela estrela que me deixe lá viver” e que foi interpretado pelo Orfeão Barrô de Águeda acompanhado a palmas por toda a plateia.

Orfeão de Arouca, o grupo anfitrião

Um outro trecho musical, desta vez interpretado pelo Órfeão de Arouca e dedicado a um outro dos seus membros que já partiu, José Luís Oliveira, foi a canção “Esperança” com que este IV encontro de coros encerrou.

“A tua morada é também aqui”

Terminada execução polifónica dos 18 temas musicais que constituíram o reportório musical deste encontro de coros, além da troca de lembranças e da oferta de doçaria conventual aos grupos participantes, foi feita a entrega de ramos aos dirigentes de cada um dos coros, bem como a Isilda Oliveira, mãe da Nádia. De referir que dois desses ramos foram, por sua vez, oferecidos pelos seus destinatários a Isilda Oliveira, para serem colocados na campa de sua filha.

A encerrar o Encontro de coros foi lido pela mãe da Nádia um pequeno texto intimista, escrito por Ivo Brandão, Diretor do Orfeão de Arouca, como homenagem pessoal a esta sua colega e destacado membro deste grupo coral.

Entrega de flores aos maestros dos coros

Refira-se, finalmente, que, à margem deste encontro de Coros, um dos grupos participantes, o Coro da Escola Salesiana de Santo António do Estoril, animou, no dia seguinte, a celebração litúrgica da Solenidade da Ascensão do Senhor na Igreja do Mosteiro de Arouca, sob a direcção de António Ferreira e acompanhado ao órgão de tubos pelo seu organista titular, Nicolas Roger.

José Cerca

Publicado no semanário “Discurso Directo” nº162 de 9 de junho de 2011

Anterior:

Seguinte: