UM PASSEIO COM VISTA ALEGRE

por jcerca em 11 de Junho de 2016

Organizado pela turma  de História da Asarc, realizou-se no dia 8 de junho uma visita de estudo ao Museu de Santa Joana de Aveiro e ao novo Museu da Vista Alegre  em Ílhavo, inaugurado recentemente (26.05.2016) pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, após profundas obras de requalificação.

O Museu de Aveiro e o Convento de Jesus

Instalado desde 1911, no antigo convento de Jesus da ordem dominicana feminina  que remonta à segunda metade do sec.XV, a visita a este Museu  começou por uma visita guiada aos espaços conventuais nos quais predomina a figura tutelar da princesa Santa Joana, filha de D.Afonso V e que aí deu entrada em 1472.

DSCN0038

Tendo falecido a 12 de maio de 1490 e sepultada em campa rasa, o seu corpo seria transladado para um belíssimo mausoléu, por ocasião da sua beatificação em 1693.
Colocado no coro baixo, foi por esse espaço que se iniciou a visita guiada aos espaços do antigo Convento de Jesus.

DSCN0045

Depois de admirarem a beleza artística da arca tumular da princesa santa Joana, os visitantes tiveram ocasião de admirarem um outro monumento funerário localizado mesmo ao lado, na capela de S.Domingos, onde está sepultado o 7º duque de Aveiro, D.Gabriel de Lencastre (1667-1745) que foi um dos grandes mecenas deste convento.

Do coro baixo, os alunos da Academia Sénior, sempre acompanhados pelo seu professor de História, Dr. Afonso Veiga e da respectiva cicerone do museu, puderam   admirar a exuberância da talha dourada da capela-mor, bem como numerosas pinturas e diversos painéis de azulejos que ilustram, quer uns, quer outros, cenas da vida da princesa santa Joana.

DSCN0056

Os claustros, as salas do capítulo (antigo e novo), a sala do lavabo, o refeitório e o coro alto, bem como as capelas de N.Senhora da Conceição e de N.Senhora do Rosário, foram outros espaços conventuais que os visitantes percorreram sempre acompanhados das respectivas explicações.
Seguiu-se depois uma visita à exposição permanente do Museu, com destaque para a figura da Santa Joana princesa, com numerosas cenas sobre a sua vida, quer em belíssimas pinturas, quer em diversas peças de estatuária.

Encerrado em 1874, após a morte da última freira, o Convento é transformado no Colégio de Santa Joana que funciona até 1910, ano em que é encerrado e a Igreja classificada como monumento nacional. No ano seguinte é aí instalado o Museu de Aveiro.

DSCN0087

Depois desta visita, cultural e artisticamente enriquecedora, os alunos da Academia Sénior tiveram ainda ocasião de admirar a paisagem inconfundível da ria de Aveiro e das dunas da Costa Nova até à Vagueira onde pararam para almoçar.

O Museu e a Capela da Vista Alegre

Com características e conteúdos bem diferentes foi a visita ao recém remodelado Museu da Vista Alegre, criado em 1964 e que, após obras de ampliação  e requalificação, apresenta uma enorme variedade de  belíssimos exemplares de porcelana decorativa e doméstica produzidos nessa mesma fábrica.

DSCN0146

Percorrendo as inúmeras salas onde estão patentes essas autenticas obras de arte em porcelana, os visitantes tiveram ainda ocasião de admirar uma equipa de trabalhadores da fábrica a pintarem à mão várias das peças aí produzidas.

Desde a sua fundação, em 1824, por José Ferreira Pinto Basto, a fábrica de porcelana da Vista Alegre sempre manifestou preocupações de cariz social e cultural para com os seus trabalhadores, expressas no bairro social que instalou à volta da fábrica e onde ainda se destaca hoje o Teatro e a Capela, cuja visita guiada encerrou este passeio cultural da Asarc.

DSCN0142

Com uma imponente fachada em que sobressai a imagem da padroeira, N.Senhora da Penha de França, esta capela surpreendeu os visitantes pela sua beleza, desde as pinturas no tecto aos azulejos das paredes, até à talha e às esculturas do altar-mor em que se destaca um presépio em tamanho natural.

Curiosa foi a leitura interpretativa que a guia fez sobre o túmulo renascentista de D. Manuel de Moura Manuel, Bispo de Bragança e Miranda e Reitor da Universidade de Coimbra e que mandou construir esta capela, ainda anterior à fundação da fábrica.

Refira-se que, quer a capela, quer este notável exemplar da escultura tumular da época, encontram-se classificados como Monumento nacional desde 1910.

José Cerca

Publicado no semanário “Discurso Directo” nº410

de 17 de junho de 2016

Anterior:

Seguinte: