CORO DA ORDEM DOS MÉDICOS ATUA EM AROUCA

por jcerca em 22 de Maio de 2017

Tendo como cenário de fundo o retábulo barroco do altar-mor da igreja conventual de Arouca, realizou-se, ao final da tarde do dia 20 de maio, um concerto pelo coro da Ordem dos Médicos do Porto, dirigido pela drª Luisa Vilarinho.

coro ordem dos médicos (4)

Fez a apresentação do coro o maestro António Costa que, depois de agradecer os diversos apoios que permitiram a realização deste concerto, num espaço tão belo como o é a igreja do Mosteiro de Arouca,  referiu que a organização deste evento esteve a cargo da Malong, uma associação sem fins lucrativos que foi fundada para promover  e organizar a realização dos Concertos “Sons da Água” no lugar da Paradinha, na época do verão.

coro ordem dos médicos (2)

António Costa aproveitou  a ocasião para informar também que a próxima iniciativa desta associação terá lugar  no dia 3 e 4 de junho na Paradinha, com a realização de diversos ateliers de pintura, escultura e cerâmica que, através de diversos artistas contemporâneos, pretendem colocar «arte na paisagem», neste belo lugar onde os rios Paivó e Paiva se encontram.

coro ordem dos médicos (3)

Este concerto musical consistiu numa viagem pela história da música e pelos vários géneros musicais, do século XV à actualidade, sendo também enriquecido com a participação de duas bailarinas (Mariana Tato e Teresa Saraiva) que atuaram no corredor central da igreja  acrescentando, assim, ao concerto musical novas formas estéticas.coro ordem dos médicos (1)

No final do concerto, e por insistência dos aplausos do público, foi repetido mais um tema musical, o que provou o agrado geral que tal concerto teve junto do vasto público que a ele assistiu, muito embora, grande parte do mesmo fosse de fora de Arouca.

Após o concerto seguiu-se o jantar no refeitório do Convento de Arouca e que foi oferecido pela Gertal. O transporte e a divulgação do concerto esteve a cargo da Câmara Municipal de Arouca.

coro ordem dos médicos (5)

José Cerca

Publicado no jornal “Discurso Directo” nº444 de 2 de junho de 2017

Anterior:

Seguinte: