PASSEIO ANUAL DA ASARC

por jcerca em 28 de Junho de 2019

Teve lugar nos dias 25 e 26 de Junho o passeio anual da Academia Sénior de Arouca, com destino ao Nordeste transmontano.

Como vem sendo habitual, no final de cada ano, esta actividade, além de um bom momento de alegre convívio entre todos os participantes, proporciona também momentos de enriquecimento cultural, através de diversas visitas que integram o programa desse passeio.

Grupona ponte Mirandela

O primeiro desses momentos teve lugar na cidade de Mirandela, com a visita ao Museu da oliveira e do azeite, aberto ao público em 2017 e no qual estão expostos alguns equipamentos oriundos de lagares de azeite da região transmontana.

Sendo Mirandela bem conhecida pelas suas famosas alheiras, os alunos da Academia Sénior tiveram também ocasião, não só de conhecerem o fabrico original da alheira, como também de provarem e adquirirem esse produto gastronómico mirandelense.

IMG_8968

Após o almoço, e depois de uma pequena digressão pela cidade do Tua, seguiu-se para Bragança onde teve lugar mais um interessante momento cultural, através da visita a duas exposições no Centro de Arte Contemporânea Graça Morais.

“Olhos azuis do mar” foi a primeira dessas exposições composta por um conjunto de trabalhos de Graça Morais realizados, durante vários meses, em 2005, num atelier improvisado, em Sines, onde a artista conviveu com a comunidade de pescadores e onde observou e transportou para as obras os barcos, a lota, as gaivotas e os peixes. Para uma melhor compreensão do trabalho criativo destas obras muito contribuiu a explicação do guia.

IMG_9025

Num estilo completamente diferente, mas muito original foi a exposição do escultor Zadok Ben-David, natural do Iémen, mas a viver em Israel. “Pessoas que vi, mas nunca conheci” (People I saw but never met) é o título desta exposição, a maior instalada em Portugal, deste artista israelita.

Composta por cerca de 4 mil silhuetas humanas em alumínio e inox, esta exposição pretende retratar  a diversidade de etnias, idiomas, tradições, culturas e religiões e é fruto de inúmeras viagens que o artista fez por mais de 20 países.

IMG_9052

No 2º dia, após o pequeno-almoço no hotel Ibis, uma subida ao monte de S.Bartolomeu, a 820 metros de altitude e de cujo miradouro se pode admirar uma bela vista sobre a cidade de Bragança e a região de Trás-os-Montes. Daí os visitantes seniores seguiram para a aldeia de Rio de Onor, uma aldeia raiana inserida no parque natural de Montesinho. Integrada também neste parque natural está a aldeia de Gimonde onde os turistas seniores pararam para saborear a posta transmontana, servida num dos restaurantes locais.

S.Bartolomeu_grupo

Depois do almoço, nova paragem para visitar a Casa do Careto na aldeia de Podence em Macedo de Cavaleiros. Inaugurada em 2004, a Casa do Careto pretende preservar a tradição cultural e etnográfica dos caretos e do Entrudo chocalheiro.

IMG_9187

O itinerário deste passeio anual da Asarc contemplou ainda uma breve paragem em Amarante, o que permitiu, não só admirar a beleza que o rio Tâmega confere a esta cidade, como também visitar a igreja e o Convento de São Gonçalo.

Publicado no jornal “Discurso Directo” nº496 de  12 de julho de 2019

Anterior:

Seguinte: