BIBLIOTECA PAULA TELES

por jcerca em 1 de Setembro de 2021

A biblioteca dos autores de Alvarenga

Ocorreu no passado dia 28 de agosto, no Centro Cultural de Alvarenga, a apresentação da última publicação da eng. Paula Teles, intitulada “Estação” e que pretendeu evocar os 25 anos do seu trabalho na área do Planeamento do Território, nomeadamente no que se refere à mobilidade e acessibilidade nas nossas cidades e vilas. Sendo o planeamento dos transportes um pilar importante dessa mesma mobilidade, compreende-se bem a escolha deste título “Estação”, bem como do seu sub-título “25 anos de vida entre cidades”.

Estação

Ao longo de mais de 300 páginas, podemos constatar todo um vasto trabalho e uma grande dedicação da eng. Paula Teles ao tema da sua especialidade, a mobilidade nas nossas cidades, até porque “falar de mobilidade, é compreender as novas realidades urbanas e sociais; é incluir nessa representação de fluxos, as formas e modos de ir de um lugar a outro; é saber quem os faz, quais os motivos e quando são feitos; é perceber os novos ritmos de vida que hoje desenham os Territórios (sociais) da Mobilidade.”

Embora não tenhamos podido estar presente nessa sessão de apresentação, conseguimos segui-la à distância e concluir que, pela riqueza das diversas intervenções, pelos testemunhos dos vários intervenientes e pela dedicação que a própria autora manifestou pelo seu tema preferido, esta sessão de apresentação transformou-se, certamente, nas melhores Bodas de Prata da Mobilidade.

A surpresa

No final desta longa, mas bem diversificada sessão, Paula Teles quis brindar os presentes com uma surpresa ao apresentar o seu projeto da criação de uma “biblioteca dos autores de Alvarenga” a ficar, para já, instalada no Centro Cultural de Alvarenga.

Segundo a proponente este projeto visa, não só reforçar a identidade da freguesia, como também fomentar o gosto pela escrita nos mais diversos âmbitos, desde a literatura às ciências, desde a educação à sociologia, da engenharia à medicina, das artes ao desporto, da moda ao património, contribuindo assim para a história desta terra.

Perante os representantes, quer da Câmara Municipal de Arouca, quer da Junta de Freguesia de Alvarenga, foi lançada assim a “1ª pedra” deste Biblioteca, depois de apresentado o regulamento da sua criação e funcionamento, bem como a lista dos autores de Alvarenga com obras já publicadas.

Autores de alvarenga

As obras que farão parte desta Biblioteca serão numeradas por ordem de chegada e assinadas pelos seus autores.

Coube à autora deste projeto iniciar a “construção” desta Biblioteca com a colocação, numa estante simbólica, do primeiro livro “Estação” acabado de ser apresentado e que ficou com o nº1. Seguiu-se depois a colocação de vários outros títulos de autores alvarenguenses que se encontravam presentes na sessão de apresentação.

Refira-se que a publicação mais recente a constar nesta biblioteca será “Memórias da Paradinha” que já teve uma pré-apresentação no próprio local da Paradinha, no passado dia 7 de agosto, no final da “missa do rio” e que neste momento se encontra presente na Feira do Livro em Lisboa (Pavilhão CO1) até ao dia 12 de setembro.

Memorias_da_Paradinha_CAPA

Encerrar a apresentação desta “Estação” de Paula Teles com a criação de uma “Biblioteca de autores de Alvarenga” foi, certamente, uma brilhante ideia para motivar as pessoas a escreverem e a deixarem registadas em livro as suas vivências e o seu contributo de cidadania para a posteridade. Até porque um livro é sempre uma Estação na qual poderemos apanhar qualquer meio de transporte que nos poderá conduzir aos mais diversos e surpreendentes destinos.

José Cerca

 Publicado no jornal “Discurso Directo” nº547 de  17 de dezembro de 2021

Anterior:

Seguinte: