BODAS DE OURO SACERDOTAIS

por jcerca em 1 de Julho de 2021

BODAS DE OURO SACERDOTAIS

do P. José Augusto Correia de Oliveira, cmf.

Correia de Oliveira_atual

(Sé do Porto, 11/07/1971Fátima, 11/07/2021)

 O Pe. Correia de Oliveira, nascido a 4 de abril de 1945, no lugar da Boavista, freguesia de Santa Eulália, Arouca, é missionário claretiano. Reside atualmente no Seminário do Coração de Maria, em Fátima, e vai celebrar cinquenta anos de sacerdote, no corrente mês de julho.

Seminario_claretianos_fátima

 Seminário do Coração de Maria em Fátima, onde reside

Deu entrada no seminário dos Carvalhos (Pedroso, V. N. de Gaia), a 29 de setembro de 1956. Frequentou, depois, o noviciado no seminário claretiano de Cacém (Sintra), tendo emitido a profissão religiosa a 7 de outubro de 1962. Cursou Filosofia, em Fátima e Cacém), e Teologia, em Roma e no Instituto Superior de Estudos Teológicos, de Lisboa.

Seminário dos carvalhosSeminário dos Carvalhos onde cursou os cinco primeiros anos

Seminário do Noviciado_Fátima

Seminário de Fátima onde fez o Noviciado

Seminário  Cacém

Seminário do Cacém (Sintra) onde fez o curso de Teologia

Recebeu o diaconado, em Fátima, das mãos de D. Domingos de Pinho Brandão, e foi-lhe administrada a ordenação sacerdotal por D. António Ferreira Gomes, na sé catedral do Porto, a 11 de julho de 1971.

Aquando da Ordenação sacerdotal

 No dia da ordenação sacerdotal por D.António Ferreira Gomes, Bispo do Porto

Desde essa data e até ao presente, trabalhou como missionário, durante sete anos, em S. Tomé e Príncipe (1971-1975 e 1980-1983); de 1976 até 1980 – período, em obteve a licenciatura em História – exerceu no Seminário Carvalhos, o múnus de formador dos seminaristas menores, e foi responsável pela formação dos estudantes de Teologia, em Lisboa, de 1986 a 1995.

No Organismo religioso a que pertence, desenvolveu, ainda, tarefas de âmbito interno, como: secretário provincial, procurador das Missões, administrador do Colégio Universitário Pio XII, em Lisboa, e diretor da Casa de Acolhimento e Espiritualidade, de Fátima.

Ultimamente, tem-se consagrado à orientação de Exercícios Espirituais, à redação de livros de cariz histórico e religioso, e a verter para a língua portuguesa diversas publicações da Congregação dos Missionários Filhos do Coração de Maria.

Sinfonias_capa

Por motivo da efeméride sacerdotal que vai comemorar em breve, redigiu uma pagela, em jeito de oração, que transporta este texto, com o seu quê de saboroso e que aqui se partilha:

Frente da Pagela-page-001

  • Antes de mais, obrigado, Senhor, por me teres criado e acompanhado solicitamente ao longo destes anos, e por Te dispores a presidir a este evento festivo, que agendaste desde a longínqua hora do repto vocacional que me dirigiste.
  • Revelaste-Te sempre o ‘marco geodésico’ que balizou o roteiro da minha existência, e o ‘astrolábio’ benfazejo, que assinalou o rumo certeiro e dissolveu o enredo das minhas dúvidas e ansiedades.
  • Na autoestrada da vida, constituíste a minha suspirada ‘área de serviço’: o recanto de quietude, onde consegui vislumbrar o teu rosto luminoso e refazer as forças que havia desperdiçado; a estalagem acolhedora, que misericordiosamente me albergou nas noites agrestes e de solidão; a toalha florida, que, prazenteiro, fidalgamente adornavas com o prato cálido do teu Corpo e Sangue, sempre acompanhado pela sobremesa da tua elegante e sedutora presença.
  • Quero, pois, felicitar-Te por me teres dispensado tão aprazível como copioso caudal de bondade e de complacência. Aprouve-me sobremaneira degustar a subtil fineza de me atribuíres o mérito de inúmeras iniciativas, que foram, afinal, fruto dos teus sublimes dons, e constatar a proverbial e incorrigível propensão que manifestaste em sobrevoar e branquear as minhas crassas e ostensivas afrontas.
  • Escusado será dizer que a consciência que de ter encetado já a última etapa da vida terrena me aviva o indomável afã de Te contemplar, agora face a face, e de quanto antes fruir, junto da Trindade santa, do supino e gratificante ‘lugar cativo’, que graciosamente prometeste colocar à disposição de todos os esforçados servidores do teu Reino. Por isso, um ‘até já’, do amigo, Padre José Augusto. 

 José Cerca

{ 1 comentário… lê abaixo ou adiciona }

1 Antonio Coelho 3 de Julho de 2021 às 6:29

Associo-me com alegria à celebração da vida presbiteral do José Augusto juntando a minha voz à sua neste belíssimo e “divertido” encontro -como é timbre do José Augusto – com Aquele que é a fonte da Vida e que nos espera cada dia: nenhum será o último, cada um é um “até já”.
A. Teixeira Coelho

Responder

Anterior:

Seguinte: